Expertise

Planejamento Estratégico

Planejamento de Mídia

Mídia Programática

Buscadores

Emailmarketing

Social Marketing

Sac 2.0

Inbound Marketing

Identidade Visual

Design Gráfico

Business Intelligence

Serviços de TI

Gestão de Loja

Gestão de Equipe

Plataformas

Facebook Ads e Orgânico

Instagram Ads e Orgânico

Google AdWords e SEO

Twitter Ads e Orgânico

Linkedin Ads, Orgânico e Pulse

Remarketing e Retargeting

Rede de Afiliados

Mídia em Portais

Criação de Sites e Landing Pages

Produção de Conteúdo - Copywriting

Zendesk

Scup

Hubspot

RD Station

Área Logada

Obramax

SixWine

Eniwine

Beer.com.br

Wine
99 Taxi
TexPrima LOF

Pet Delícia

Trato

Loja de Bebidas

Acostamento

© 2020 CAMINO MARKETING

 

Ecommerce. Liderança. Logística.

1 Apr 2016

Tornar-se líder é um desafio. Mas a partir de quando seus clientes e concorrentes começarão a notar sua presença?

 

 

Grandes coisas começam a acontecer quando um ecommerces conquista 10% da população local como clientes ativos. Esse é o ponto em que os ecommerces precisam alcançar para se tornarem significativos o suficiente para que outros players não consigam ignorá-lo. É também o ponto onde o crescimento começa a acelerar. 

 

O seu mercado é dominado por um gigante? veja o exemplo da eBay Inc.

Inicialmente tinham mais usuários ativos que a Amazon.com Inc. que, após um redesenho de sua estratégia, conquistou essa fatia antes dominada pela eBay. Um dos fatores principais nesse redesenho foi o desenvolvimento de uma logística confiável. 

 

A Amazon.com Inc. é a líder e-commerce nos Estados Unidos e na Europa. Atualmente possuem cerca de 150 milhões de clientes ativos nos Estados Unidos, o equivalente a aproximadamente 47% de toda a população americana. 

Na Europa, a Amazon é responsável por 16,7% do mercado de e-commerce, três vezes mais do que o concorrente mais próximo, o Grupo Alemão Otto, com 5,1%. 

 

Essa é uma posição competitiva que outros estão tentando replicar. Seu segredo estaria somente na logística? Certamente não. A rapidez no atendimento, o mix de produtos e os preços competitivos ajudaram a Amazon a alcançar a liderança.

 

Veja o caso na China. Lá o líder é o Alibaba Group Holdings Ltd., com 57,8% de participação de mercado, seguido pela JD.com, com 23,3%. 

O Alibaba também construiu uma infra-estrutura logística que permitiu facilitar o processo de compra online. Porém, somado ao que fez a Amazon, implementou o Alipay, seu serviço de pagamentos online além de outros produtos financeiros.

 

Mais ou menos como acontece aqui na América Latina com o MercadoLibre, que possui uma participação de 15,9%., e que possui um sistema de pagamento próprio chamado Mercado Pago que atualmente é utilizado por 61% dos seus usuários.

 

Na Índia, a empresa de ecommerce com a maior participação de mercado é a Flipkart, com 34,5%. Nenhum ecommerce na Índia atingiu uma base de usuários ativos de 10%. Algumas análises apontam que os ecommerces na região ainda não são rentáveis, apesar de uma crescente base de clientes. 

 

Sabemos que este é o nosso grande desafio e para um ecommerce no Brasil vencer o atual líder do seu ramo é fundamental inovar. Encontrar um parceiro logístico menor, local, talvez seja uma das opções. Repensar seu Centro de Distribuição também talvez seja necessário, mesmo com os incentivos fiscais que por ventura sua empresa possa deixar de usufruir. 
Seu usuário precisa de rapidez, qualidade, opções de entrega e informação (tracking).
Cases não tão recentes como o Magazine Luíza que utilizou suas lojas como CDs e Sonoma.com.br que contratou uma equipe de motoboys para garantir a entrega de vinhos podem ser bons começos.

É fundamental ter em consideração que antes de qualquer análise de concorrentes é necessário ouvir seus consumidores. Geralmente os primeiros passos da inovação na busca da liderança estão aí.

 

 

 

 

 

 

Please reload

DESTAQUE

Google muda algoritmo de busca para destacar reportagens originais

1/4
Please reload

RECENTES
Please reload

CATEGORIAS